>

 

A SÊDA
borboletas

Nesta página você ficará conhecendo a mágica estória da seda, desde sua elaboração na natureza, com auxílio da lagarta, até sua transformação, pelo homem, no mais nobre tecido conhecido pela humanidade.

Você conhecerá também a estória do descobrimento do fio de seda, seu ciclo de transformação e o aproveitamento na tecelagem manual, para a produção de tecidos, utilizados na decoração de ambientes e na confecção de peças de vestuário.

Clicando em um dos links abaixo, você iniciará esta fascinante viagem pelo milenar , belo, colorido e mágico mundo da seda.

História da seda                    Formação do fio

História da seda  borboletas

Os primeiros a conhecer a seda foram os chineses. Descobriram que podiam fabricar com ela um tecido para fazer vestidos, e acharam um meio de a extrair dos animais que as produziam. A palavra seda é usada para denominar as secreções de filamentos, produzidas pelas lagartas de alguns tipos de borboletas. Por isto as lagartas são popularmente conhecidas como "bichos da seda".

A descoberta da seda data de aproximadamente 2.600 ano A.C., quando o imperador chinês Hwang-Te confiou a criação do bicho da seda à sua espôsa, Hish-Ling-Shi, conforme mostra a ilustração abaixo.

 

imperador e imperatriz imperador e imperatriz imperador e imperatriz
imperador e imperatriz imperador e imperatriz imperador e imperatriz
imperador e imperatriz imperador e imperatriz imperador e imperatriz

 

Os chineses observaram que as lagartas podiam viver, prosperar e se criarem em cativeiro, desde que bem alimentadas com folhas de amoreira. Para se ter uma idéia, a partir de 30 gramas de ovos, saem aproximadamente 40.000 bichos, que devoram em oito semanas, 350 quilos de folhas.

Quando nasce, a lagarta não pesa mais que uma décima parte de um miligrama. Na fase adulta, com um comprimento de nove centímetros, ela pesa 10 gramas. Chega o momento então de transformar-se em crisálida, quando então fia a famosa seda.

Os chineses guardaram seus conhecimentos o melhor que puderam, pois desejavam ser os únicos a produzir a seda, que vendiam pelo mundo todo. A seda era transportada por terra, atravessando o Himalaia, a Índia e a Pérsia, até chegar à Turquia, Grécia e Roma, num percurso conhecido como Rota da Seda.

No ano 550, o imperador romano Justiano, resolveu implantar a indústria da seda no império do Oriente e, para isto enviou secretamente dois frades persas à China, para que trouxessem alguns ovos do bicho da seda e os conhecimentos necessários para sua criação.

Quando conseguiram a quantidade de ovos desejada, os dois frades retornaram com os mesmos, escondidos em um bambu, levando-os para Constantinopla. Após incubados, a criação desenvolveu-se sendo confiada a amigos do imperador. Com o tempo, o conhecimento espalhou-se por outros países, não ficando mais a criação do bicho da seda restrita a um privilegiado grupo de pessoas.

 

Formação do fio     borboletas

Antes de verificarmos como se obtém o fio de seda, vamos aprender como a lagarta o produz.


Borboleta

Ovos da borboleta

Lagarta na amoreira

Casulo nas folhas


Casulos colhidos

Seda após retirada dos casulos

Aqui então entra a interferência humana ( ver fotos acima ), que corta o processo natural, afim de obter a famosa matéria prima. Na realidade a colheita da seda se torna uma pequena tragédia, pois a manufatura de uma peça de seda, representa a morte de milhares de insetos.

Para se obter uma grande quantidade de casulos, existem os centros de criação artificiais de lagartas, onde elas são devidamente alimentadas. Nos viveiros são construídos "bosques"artificiais com galhos de vassourinha, ou outra planta parecida, para que as lagarts subam em seus ramos e neles teçam seus casulos.

Faz-se a colheita dos casulos de oito a dez dias depois de prontos, quando os mesmos então são enviados para a fiação.

fiação fiação fiação
fiação fiação fiação
fiação fiação fiação
fiação fiação fiação

As etapas do processo de criação são as seguintes:

Os casulos são mergulhados em um recipiente com água quente, para matar a crisálida e amolecer os mesmos, pois possuem uma espécie de goma, que cola os fios uns nos outros.

Com uma espécie de pincel, vai-se girando os casulos, apanhando as pontas dos fios e desenrolando-os gradualmente. Resume-se o processo em desmanchar o trabalho feito pela lagarta. Os fios desenrolados vão sendo enrolados em uma roda, formando uma meada.

As meadas são lavadas em água quente, batidas e purificadas com ácidos. Depois de sucessivas lavagens, a seda é secada em máquinas apropriadas e as meadas são desembaraçadas e penteadas, obtendo-se fios macios e iguais, prontos para serem utilizados na tecelagem. O processo natural é mostrado na imagem acima.

A seda é utilizada na tecelagem manual, misturada com outras fibras como algodão ou lã. Desta maneira produz-se tecidos mais resistentes, que podem ser utilizados na confecção de xales, peças de vestuário, tecidos para decoração e em inúmeras outras possibilidades, de acordo com nossa criatividade..

Orientação sobre cursos de tecelagem manual

fone (48) 232-6131/ 9998-0241 ou envie-nos um email.